Bem-vindo (a) ! Hoje é

728x90 AdSpace

Procurar no site. Empresas, classificados, hotéis, pousadas, pessoas e notícias.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

A VIOLÊNCIA SOFRIDA POR MULHERES QUE EXERCEM A PROSTITUIÇÃO FOI DISCUTIDA EM UM SEMINÁRIO EM JUAZEIRO

A VIOLÊNCIA SOFRIDA POR MULHERES QUE EXERCEM A PROSTITUIÇÃO FOI DISCUTIDA em um seminário em juazeiro
Centenas de mulheres estiveram reunidas em juazeiro participando de um debate sobre a violência que atinge as mulheres que trabalham como prostitutas na cidade. O seminário com o tema violência no exercício da prostituição: invisibilidades e contradições, foi realizado na noite da última quarta-feira (22/11) e durante todo o dia de ontem (23/11) no Centro de Cultura João Gilberto.
A iniciativa foi da Pastoral da Mulher da Diocese de Juazeiro, com o objetivo de sensibilizar e dialogar com a sociedade sobre a violência sofrida pelas mulheres que exercem a prostituição. Durante o seminário foi exibido um vídeo documentário produzido pela pastoral com depoimentos de quem passou por violência no exercício dessa profissão.
Entre as palestrantes participaram a advogada feminista Laina Crisóstomo Souza de Queiroz, coordenadora da ONG Tamo Juntas, que presta assistência à mulheres que sofrem violência na cidade de Salvador; a coordenadora do grupo de estudos feministas da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Elbênia Neris; a delegada da mulher de Juazeiro, Rosineide Motta Medrado; a delegada regional de Juazeiro, Lígia Nunes de Sá e a representante da marcha mundial de mulheres Tainá de Menezes.
Para a coordenadora da Pastoral da Mulher, Fernanda Lins, o objetivo de tirar essa temática da invisibilidade foi alcançado. “ressalto que ainda é necessário continuar na luta por uma sociedade mais igualitária para as mulheres e onde seus direitos sejam garantidos. E destaco a importância do trabalho conjunto e em rede para o enfrentamento desse problema.” Frisou Fernanda.
Por Josenaldo Rodrigues
[attach 1]
[attach 2]
[attach 3]

Desenhador por

Adailton Santana.

Agencia UAUNET: Temas UAU

  • Comente com seu blog
  • Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Item Reviewed: A VIOLÊNCIA SOFRIDA POR MULHERES QUE EXERCEM A PROSTITUIÇÃO FOI DISCUTIDA EM UM SEMINÁRIO EM JUAZEIRO Rating: 5 Reviewed By: Adailton Santana