Bem-vindo (a) ! Hoje é

728x90 AdSpace

Procurar no site. Empresas, classificados, hotéis, pousadas, pessoas e notícias.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

ARTIGO DO LEITOR

ARTIGO DO LEITOR
NÓS JÁ SOMOS O NOVO ::::
Por: Áquila Almeida, advogada.
Tenho acompanhado atentamente o balburdiar maçante e a retórica oca e vazia de alguns opositores a gestão do prefeito de Uauá, Lindomar Dantas, muitos deles se questionam com pretenso espanto sobre a mudança conclamada pelo novo governo, lançando mão de uma premissa equivocada de que ela não existe. Ledo engano...
A mudança existe sim, na verdade ela aconteceu desde quando de forma inédita e histórica um atrevido professor licenciado em filosofia, sem tradição, sem o apadrinhamento de algum cacique da política local, resolveu disputar o processo político aqui em Uauá; a mudança aconteceu quando esse rapaz intrépido ousou desconstruir a lógica autoritarista de uma disputa historicamente elitizada, onde o poder político era apenas revezado entre duas grandes famílias; a mudança aconteceu quando de forma inédita o simples e humilde professor consagrou-se vitorioso numa disputa onde seus adversários apostaram na mentira, no ódio, no medo, mas sucumbiram em seus vis propósitos de perpetuar-se as custas da miséria do povo, no poder.
A mudança existe desde que o grupo do então prefeito eleito resolveu defender um projeto que contemple a transformação efetiva da vida das pessoas e consequentemente Uauá; a mudança pulsa latente, quando o mesmo prefeito eleito se predispõe a transformar o status quo, o estado das coisas como eram antes, cortando privilégios, sanando vícios históricos, resgatando pouco a pouco a dignidade então perdida do povo de Uauá.
Parecia impossível imaginar nossa cidade resgatando a sua credibilidade, vislumbrar Uauá retomar seu desenvolvimento, retomar a regularidade da vida pública, a prestação de serviços públicos essenciais até então interrompidos pela má gerência dos recursos públicos disponíveis, outrora praticada por aqueles que nos antecederam - os mesmos que roubaram o brilho de nossa cidade e devolveu Uauá literalmente às escuras ao povo, mas que ainda assim se atrevem com triunfal delírio a praguejarem contra o governo posto.
Assim, na contramão do que confabulavam as aves de agouro, seguimos firmes nosso trabalho tentando gerenciar o caos deixado pelos gestores passados e mesmo diante de um cenário difícil, de crise administrativo-financeira, reflexo não apenas da péssima herança do passado, mas também do grave momento por qual perpassa o nosso país, afinal, não era mero discurso retórico quando dizíamos que a derrubada do governo legítimo de Dilma Rousseff faria o país retroceder por anos. O que vimos nos últimos meses a nível nacional foi: congelamento dos investimentos em saúde e educação, desmonte completo do estado de bem-estar social com o corte de recursos em políticas públicas de caráter social, recuo nos fatiamentos de recursos para os municípios, etc. A realidade é assustadora e Uauá também é parte disso, infelizmente.
Hoje o município sofre com a drástica perda de recursos em áreas estratégicas o que tem comprometido sobremaneira a nossa capacidade de resposta ao enorme número de demandas reprimidas que remontam bastante tempo, não são problemas de agora. Entretanto, é de se dizer, o governo não tem se quedado inerte. A mudança também reside bem aqui, quando ao revés de acomodar-se, o prefeito junto a sua equipe decidiu trabalhar firme, gerenciado de forma justa e correta os escassos recursos disponíveis para fins de garantir que Uauá pudesse caminhar junto a um futuro promissor e de desenvolvimento.
A mudança está na sensibilidade política do gestor municipal em compreender que mesmo na crise o município precisava dar uma resposta enérgica ao grave problema da longa estiagem com seus nefastos efeitos que atinge toda a região. De forma histórica, manejando recursos próprios e corrigindo um descaso de mais de trinta anos, o prefeito segue viabilizando a recuperação, limpeza e ampliação de várias aguadas comunitárias no interior do município, assegurando assim que os reservatórios ganhem mais extensão e profundidade para acumular maior quantidade de água das chuvas.
A mudança acontece quando na contramão do quem vem acontecendo em todo o país - congelamento de recursos na educação, retirada de direitos - o governo investe na política de valorização do seu conjunto de servidores efetivos: pagando salários sem atraso, reconhecendo o pagamento do piso dos professores, reajustando salário dos Agentes Comunitários - corrigindo uma omissão do passado -, assegurando de forma inédita o enquadramento dos servidores da Guarda Municipal, sentando mensalmente com o sindicato dos servidores para discutir as questões públicas de relevante interesse para a municipalidade, se colocando à disposição do sindicato para construírem juntos o plano de carreira da classe, reajustando ajuda de custo dos médicos do programa mais médico; a mudança está na melhoria do atendimento público de saúde que hoje chega aos rincões do município com qualidade; a mudança está no trato com a coisa pública, no respeito com as pessoas; desde a aurora da gestão o gabinete do prefeito esteve de portas abertas para receber o povo, sou testemunha do grande número de pessoas que passaram pela primeira vez nos umbrais das portas da prefeitura para sentar à mesa com o prefeito; a mudança está no fato das pessoas se sentirem parte do governo, um governo que não pertence a um naco de privilegiados, mas que é do povo, com o povo e para o povo; a mudança mora nos detalhes e quando instituímos como lema de governo a premissa de que ‘a mudança aconteceria nos detalhes’, não era arroubo poético, é que de fato, sabíamos, que não se poderia fazer grandes coisas em Uauá por esses tempos, mas que a mudança aconteceria sim nos pequenos detalhes, nos gestos políticos que, muito embora singelos, teriam o condão de transformar o estado como as coisas estão.
O governo só começou, muitas coisas estão por vir...
Que venham os novos tempos de esperança, que venham mais mudança e que jamais cessem...
Que fique no passado o vazio do que corrói e nada constrói, o descaso e o desrespeito...
Que venham mais e novos desafios, que venham sonhos, que venha o horizonte apontando novos caminhos, que venha o futuro ‘porque ele é um rio que segue sempre em frente.

Desenhador por

Adailton Santana.

Agencia UAUNET: Temas UAU

  • Comente com seu blog
  • Comente com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Regras do site
Não serão aceitos comentários que:
1. Excedam 500 caracteres com espaço;
2. Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
É qualquer ofensa à dignidade de alguém. Na injúria, ao contrário da calúnia ou difamação, não se atribui um fato, mas uma opinião. O uso de palavras fortes como "ladrão", "idiota", "corrupto" e expressões de baixo calão em geral representam crime. A injúria pode fazer com que a pena seja ainda maior caso seja praticada com elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem.
3. Sejam agressivos ou ofensivos, mesmo que de um comentarista para outro; ou contenham palavrões, insultos;
4. Não tenham relação com a nota publicada pelo site.
Atenção: só serão disponibilizados no site os comentários que respeitarem as regras acima expostas.

Item Reviewed: ARTIGO DO LEITOR Rating: 5 Reviewed By: Adailton Santana